jump to navigation

Brain Salad Surgery de Ano Novo 05/01/2014

Posted by leilakalomi in Miscelânea.
Tags: , , , , ,
trackback

ventcalor

Ano novo, vida nova… ehhhh

E para comemorar o quarto ano deste humilde blogue, vamos agitar um pouco as coisas por aqui:

*  Por que diabos a Globeleza pode sambar pelada e entrar na casa da gente todo dia a qualquer hora e as mulheres não podem tirar o soutien na praia? E por que as sambistas podem desfilar nuas no carnaval e não se pode tirar a parte de cima do biquini para pegar sol? Se isso não é hipocrisia dessa sociedade machista, então não sei o que é. Ou será que só as mulheres negras ou mestiças podem? Isso me cheira a mentalidade escravagista. Aliás, não entendo porque as mulheres negras nunca se manifestaram contra esse uso da imagem de mulher gostosa e sedutora; isto é, “mulher fácil”.

* Teve um comercial ridículo de uma marca de carro em que uma família estava reunida na noite de natal e de repente entram sambistas e mulatas semi-nuas numa dança sensual. Além de ser de um mal gosto terrível, me incomodou o fato de ter somente mulheres negras fazendo esse papel de mulher fácil. Gozado, eu me incomodei com isso, mas pelo visto, ninguém mais se incomodou.

* Como diria o Neo-Paulista: Não pode haver vida inteligente debaixo desse calor. E tem gente que gosta! Bem, tem gosto pra tudo, mas estou eu aqui teclando essas mal traçadas linhas com ar-condicionado ligado. Claro.

* Será que algum dia o carioca vai aprender que calçada é para ser lisa? E que pedra portuguesa é uma merda se não for bem feita? Que mal há no bom e velho cimento?

* Finalmente o Prefeito desta outrora Cidade Maravilhosa ouviu minhas preces e resolveu dar uma dura no carioca e multa quem joga lixo na rua. Se os cidadãos não têm o mínimo de discernimento para saber que a cidade é a extensão da nossa casa, então temos que alguém, no papel de mamãe educadora, fazer isso. Não sabe, aprende pela multa.

* Mas a Prefeitura tem que fazer a parte dela, não? Na JMJ em julho passado a cidade ficou entupida de turistas de todas as nacionalidades. Cansei de explicar onde ficava o ponto de ônibus, qual ônibus ia para onde, onde ficava a estação do metrô mais próxima. O Rio de Janeiro não tem a menor infraestrutura para receber turistas. E vai ser assim na Copa, e vai ser assim nas Olimpíadas. Gente despreparada para lidar com o morador, imagine com o turista.

* Falando em gente despreparada, a qualidade dos serviços no Rio é de dar dó. Raríssimos são os empregadores que ensinam o mínimo e básico para o bom desempenho do profissional. Um exemplo é o Burger King. Nada contra. Acho até mais gostoso que o McDonald´s, mas em termos que qualidade do pessoal, quanta diferença! E não é só em uma filial. No princípio achei que era eu quem estava sendo intransigente, mas fui à várias lojas da rede e descobri que o problema é de RH mesmo, de gerenciamento. Já presenciei de tudo: funcionários que ficam batento papo enquando você espera o seu pedido que está no balcão, funcionária pegando com as mãos a cebola empanada e colocando no saco para viagem, uma caixa atendendo mascando chiclete com a boca aberta! Se a família e a escola não dão um mínimo de educação, cabe ao empregador suprir a deficiência. Não pode é uma rede como a BK ter funcionários tão despreparados. Esse é apenas um exemplo. É só sair de casa e entrar em qualquer estabelecimento que se vai deparar com atitudes assim.

* Falando em turismo, se em janeiro os pontos turísticos da cidade já estão um caos, imagina na Copa! E não há perspectiva de melhora. Já nem falo dos aeroportos que aí seria covardia.

* Alguém pode me dizer se segurar a cabeça de uma pessoa entre as mãos e socá-la com o joelho pode ser considerado esporte? Esse tal de MMA pode ser muita coisa, mas esporte é que não é. Carnificina pura.

* Mas é ano novo, o blogue faz 4 anos e agente vai levando…

Anúncios

Comentários»

1. sratoz - 18/05/2014

“Se a família e a escola não dão um mínimo de educação, cabe ao empregador suprir a deficiência.”

Eis aí outro problema de mentalidade. Empregado achar que o empregador é obrigado a lhe dar educação e reclamar quando é mandado embora. Empregador não é pai-e-mãe, não é escola, não é obrigado a suprir a deficiência. Empregador é Darwin, é a sobrevivência do mais apto acontecendo na sua frente: tem que escolher os mais aptos ( = os que receberam educação, os dispostos a trabalhar, a atender, a fazer melhor) e deixar que a Natureza e o mundo cruel fiquem com o resto. Tem que mandar embora os que não atendem ao mínimo exigido e treinar os que têm potencial. Tem que não contratar os INTREINÁVEIS e deixar que morram de fome, porque é isso que eles querem. E assim contribuir com a evolução. Na média, a tendência é que, POR EXCLUSÃO, você tenha gente melhor te atendendo. Inútil esperar que os boçais aprendam a trabalhar; mas, se der emprego aos que sabem, há esperança de que passem isso adiante para a próxima geração.

2. sratoz - 18/05/2014

Não, deixar que morram de fome não. Mas não é para sustentá-los. O certo é redirecioná-los ao Estado, para que ele os alimente.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: